14.11.2016

Resumo das iniciativas: Finalistas do Prêmio Braztoa de Sustentabilidade 2016/2017

AGÊNCIAS DE VIAGEM

COPASTUR VIAGENS E TURISMO
JUNTOS SOMOS MAIS

Pequenas práticas, grandes ideais
Campanha Juntos Somos Mais engaja
colaboradores da Copastur em várias
frentes, com resultados valorosos

O desejo de transformar o mundo em um lugar melhor por meio de medidas que protejam o meio ambiente e façam diferença na vida de colaboradores e comunidades carentes impulsionou a operadora Copastur Viagens e Turismo a desenvolver, durante 2016, um conjunto representativo de ações e campanhas, com resultados palpáveis de grande eficácia.
Com o nome de Juntos Somos Mais, a iniciativa teve o engajamento de 170 colaboradores e terceiros, além de parcerias com fornecedores – seis deles participaram de ações sociais em São Paulo e no Rio de Janeiro, cidades-base da Copastur. Dividida em nove frentes, a operadora ocupou-se desde assuntos como o consumo consciente da água, do papel e da energia elétrica até o manejo dos resíduos sólidos e coleta seletiva do lixo, passando por educação socioambiental, ação social e consumo consciente de modo geral. Dentre os resultados mensuráveis, notou-se uma redução de 17% do consumo de papel e 3% da energia elétrica, que geraram uma economia de quase 3 milhões de reais.
Há mais de quarenta anos no segmento de viagens corporativas, a Copastur tem uma trajetória de transparência e de gestão inteligente tanto no contato com os fornecedores de serviços, produtos turísticos e organização de eventos quanto com os próprios clientes. Proporcionar ferramentas para desenvolver a consciência global de seus stakeholders e aplicar as melhores práticas em seus serviços estão entre suas responsabilidades. A Juntos Somos Mais coroa a vocação dessa agência de viagens, uma das únicas no Brasil com Sistema de Gestão Ambiental certificado pela norma ISO 14001 e que faz parte do Pacto Global, da ONU.

FLANAR TURISMO PEDAGÓGICO TÉCNICO E CULTURAL
TURISMO SENSORIAL ADAPTADO PARA DEFICIENTES VISUAIS EM LAVOURAS DE CAFÉ

De grão em grão
Turismo Sensorial no interior de
Minas Gerais propõe nova perspectiva
para as agências de viagem

Jovem no cenário de agências de turismo no Brasil, a Flanar iniciou suas atividades há três anos com a proposta de difundir a cultura e o conhecimento por meio de viagens que promovam processos de ensino e aprendizagem. Sediada em Uberlândia (MG) e fincada nos pilares de inclusão social, economia sustentável e cuidado com o meio ambiente, a empresa se destacou com a iniciativa do Turismo Sensorial Adaptado para Deficientes Visuais em Lavouras de Café, que neste ano teve sua segunda edição.
Sessenta participantes já tiveram a chance de visitar fazendas produtoras de café na região de Araguari, no norte do Triângulo Mineiro, e passar por experiências únicas, programadas especialmente para pessoas com deficiência visual, física ou baixa mobilidade. Idosos com mais de 60 anos também fizeram parte dos roteiros, que não tiveram fins lucrativos.
Todo o processo de produção do café foi contemplado, desde o grão no cafeeiro, a colheita, a secagem, a seleção e a torra, até a degustação das bebidas feitas à base de cafés especiais produzidos na região do cerrado mineiro. Foram mobilizadas 35 pessoas, entre funcionários, voluntários e parceiros da iniciativa privada e pública para acompanhar os grupos.
Ao mesmo tempo em que promove a inclusão, o projeto chama a atenção para problemas socioambientais e constrói alternativas para o turismo sustentável na região, que inclui municípios do Triângulo Mineiro e do Alto Paranaíba. Para a Flanar, as oportunidades turísticas não são apenas uma oportunidade, mas um direito para todos.

VENTO SUL TURISMO
AÇÕES PROMOCIONAIS EDUCATIVAS VISANDO A CONSOLIDAÇÃO DOS PRODUTOS E DAS PRÁTICAS SUSTENTÁVEIS

A riqueza da experiência
Vento Sul dá o bom exemplo com
o sucesso dos Roteiros Sustentáveis
nas comunidades agrícolas de Gramado

Os Roteiros Sustentáveis foram criados pela Vento Sul para fomentar o turismo na região de colônias agrícolas de Gramado (RS), envolvendo famílias que abrem suas casas e compartilham com os visitantes seus costumes e valores, suas lembranças e sua paixão pelas origens. O número de turistas nesses roteiros vem dobrando anualmente – se em 2013 houve 3 600 passageiros, este ano fechará com mais de 19 000.
Para obter tamanho crescimento, a agência de viagens tem investido em divulgação e capacitação, envolvendo as comunidades receptoras de forma a preservar os seus patrimônios materiais e imateriais. Neste ano, o capital investido pela empresa foi de 140 mil reais.
Com quase dez anos de experiência na Serra Gaúcha, a Vento Sul demonstra que é possível praticar um turismo responsável e sustentável – que beneficie não apenas a própria agência, mas também o viajante e o receptor. Além de gerar empregos diretos e indiretos, a ação também inspira um tipo de turismo voltado a belezas naturais, gastronômicas e culturais, que fogem ao paradigma do urbano, da tecnologia e do consumo. Hoje em dia, essa operação conta com um total de 44 colaboradores e todas as famílias das comunidades de Linha Ávila, Tapera, Campestre do Tigre, Linha 28 e Vale do Quilombo.
Os Roteiros Sustentáveis vêm acompanhados de iniciativas afins dentro da empresa, tais como migração para operação online, redução do consumo de papel e desconto progressivo por passageiro para aumentar a ocupação média de veículos de passeio e traslado, com resultados de 25% na operação como um todo.

 

ASSOCIADOS

AGAXTUR AGÊNCIA DE VIAGENS E TURISMO LTDA.
PROGRAMA QUALIDADE DE VIDA AGAXTUR

Vida melhor para todos
Programa da Agaxtur inclui reforma
de estruturas, uso de tecnologia,
lazer e redução do estresse

Soluções criativas, práticas e econômicas fazem parte do plano de ação da Agaxtur para tornar o ambiente de trabalho mais agradável, mais integrado e, finalmente, mais eficiente, seguindo a crença de que o desenvolvimento e o crescimento dos negócios e do turismo só são possíveis com uma filosofia sustentável. Reconhecer todas as frentes em que poderia haver melhorias foi o primeiro passo.
De uma série de constatações surgiu o programa Jeito de Ser Agaxtur, que incluiu desde a renovação de áreas comuns dentro da sede da empresa, em São Paulo, até a implantação de ensino à distância para fins de treinamento e capacitação dos funcionários, além da troca do sistema de operações para um programa novo, mais moderno e fácil de utilizar.
Também fazem parte das inovações a mudança do plano de saúde, melhorando tanto a rede credenciada quanto os benefícios, e práticas internas que visam o bem-estar, como ginástica laboral, atividades de lazer e a adoção de um aplicativo que estimula a mudança de hábitos e a consequente redução do estresse. O aconchego nas horas de descanso ou das refeições também foi contemplado na renovação das estruturas. E o sistema de ensino à distância, bem como o estímulo no uso de aplicativos como o Skype, têm reduzido reuniões presenciais, o que garante tanto economia de combustível como tempo perdido em deslocamentos.
O programa, como um todo, beneficia hoje cerca de 200 colaboradores, 100 agentes de viagem e mais de vinte prestadores de serviço, além de fornecedores e parceiros. Segundo a Agaxtur, as ações têm causado um impacto muito positivo na percepção dos colaboradores. Em pesquisa recente de clima, 98,9% disseram que gostam de trabalhar na empresa e 94,6% indicariam um amigo para trabalhar ali.

MGM OPERADORA
PARCERIA SUSTENTÁVEL – A MENOR DISTÂNCIA ENTRE DOIS PONTOS

Famtour sustentável
MGM leva agentes de viagem à
Colômbia para mostrar um novo
modelo de pacote possível

Um famtour sustentável do início ao fim – desde a programação, totalmente papel-free, até a escolha do destino, passando pelas atividades e concluindo com o plantio de árvores para neutralizar a emissão de CO2. Isso sem falar na multiplicação de conhecimentos e na disseminação da cultura de um turismo mais responsável. Assim foi a experiência-modelo da MGM, que levou dez agentes de viagem do Rio Grande do Sul para três cidades da Colômbia.
A ideia surgiu três anos atrás, quando Jaqueline Rodrigues, gerente comercial da MGM, participou da feira da Associação Colombiana das Agências de Viagem e Turismo, a Anato. Na ocasião, ela visitou Bogotá, Cartagena e San Andrés e ficou impressionada com a imensa riqueza cultural do país, pouco valorizada nos pacotes tradicionais do destino. Voltando ao Brasil, começou a trabalhar roteiros que colocassem os passageiros mais em contato com o povo colombiano.
O tour pelas mesmas três cidades incorporou passeios a pé e de bike, bem como a conscientização para recolher o lixo durante a viagem – atividades simples, com grande poder de mudanças. O contato com a cultura local foi privilegiado em atividades como andar em chiva, o colorido ônibus local, e conversar com palenqueras, as vendedoras de doces e frutas com seus vestidos floridos. Museus de Botero e do Ouro fizeram parte do itinerário, que também contemplou lojas de artesãos locais e degustação de pratos e bebidas típicos.
Na volta, a experiência se multiplicou em várias frentes: os dez participantes ficaram entusiasmados com a nova visão sobre o destino e a empresa capacitou mais de setenta agências de viagem. Todos os parceiros que tornaram o famtour possível (ProColombia, Avianca, Cartagena e Gematours) também se engajaram.
Além disso, a MGM fez uma atividade educativa sobre meio ambiente com 100 alunos de escolas públicas no interior do Paraná, estado onde a matriz se instalou 17 anos atrás, com o plantio de 150 árvores nativas da mata ciliar.

BWT OPERADORA
RESPEITE O SEU PLANETA

Verde por dentro e por fora
Campanha de prevenção de câncer,
horta comunitária e setor dedicado à
pesca são algumas ações da BWT

Com duas décadas de existência, a BWT Operadora lançou neste ano o Respeite Seu Planeta, projeto que consolida e amplifica uma série de atividades que já fazem parte da cultura da operadora – seja no contato com seus funcionários, fornecedores e clientes, seja no desenvolvimento da comunidade do seu entorno e no cuidado com o planeta.
Duas ações ganharam especial importância: a campanha Outubro Rosa, que ofereceu 300 exames gratuitos de prevenção de câncer de colo de útero, mama e pele para quarenta funcionárias de baixa renda, e a Horta Sustentável, envolvendo os empregados tanto no cultivo quanto na colheita de hortaliças. Para a primeira ação, a BWT contou com a parceria do Humsol e o apoio do caminhão de autoexame Fiep/Sesi/Senai; para a segunda, com o da Facop (Fundação do Asseio e Conservação do Estado do Paraná).
Engajada em reciclagem do descarte de materiais de trabalho – 100 quilos por mês são enviados para o programa EcoCidadão Paraná, beneficiando recicladores do município de Morretes –, a empresa também entregou 150 mudas de árvores das espécies saboneteira e ipê roxo para a população local, dentro da programação de atividades de celebração do Dia da Árvore.
Além disso, a BWT criou um departamento de pesca esportiva para fomentar a prática sustentável do pesque-e-solte em regiões do Amazonas. Com o nome de BWT Sport Fishing, a divisão pretende oferecer alternativas de sobrevivência aos pescadores e moradores da região e contribuir para a extinção da pesca predatória.
Na sede da empresa, há bons resultados no uso consciente de água: 40% de economia foram verificados com o reuso de água da chuva – a cisterna tem capacidade para 30 litros, que são utilizados para a limpeza da área externa do local. O papel também ganha atenção especial, com a redução de impressão de vouchers. Finalmente, o site da BWT contribui com o reflorestamento da Mata Atlântica, compensando emissões de CO2.
MEIOS DE HOSPEDAGEM

CAMBARÁ ECORESORT
SUSTENTABILIDADE COMO GESTÃO DA EMPRESA

Case de impacto
Com sete anos de vida, o Cambará
Eco Hotel se consolida por praticar
o que pensa. E tudo se sustenta

O Cambará Eco Hotel nasceu ecológico, sete anos atrás, quando a família Brugnera resolveu abrir um empreendimento totalmente sustentável na frente de um imenso lago nos Campos de Cima da Serra, no Rio Grande do Sul.
Um dos únicos hotéis da região (a maioria dos estabelecimentos de hospedagem é de pousadas), a 1,5 quilômetro do centro de Cambará do Sul e a caminho do Parque Nacional de Aparados da Serra, o Cambará Eco Hotel não apenas tem a localização privilegiada e ideal para o contato com a natureza como está alicerçado nos conceitos de sustentabilidade.
Eles podem ser verificados no tratamento de esgoto anaeróbico, na captação de água da chuva por meio de cisternas para uso na lavanderia, jardinagem e banheiros, no aquecimento de água por energia solar, na separação de lixo seco e orgânico, no reaproveitamento dos resíduos recicláveis, na eficiência energética com sensores de presença e lâmpadas led, entre outras características presentes nas instalações.
As boas práticas também se refletem nos processos internos da empresa, como a definição e o acompanhamento de ações estratégicas. Entre algumas de suas contribuições para a sociedade, o hotel prioriza fornecedores locais, contrata e treina moradores da região e imigrantes, patrocina projetos sociais no entorno e participa de entidades promovendo ações para o desenvolvimento socioeconômico do município.

Coerente com sua crença e sua prática, o Cambará Eco Hotel realiza parcerias com escolas e faculdades, disseminando práticas sustentáveis. Na comunidade local, desenvolve projetos como o de troca de óleo de cozinha por barras de sabão. Também mantém as trilhas na mata nativa de araucárias e já plantou 3 500 mudas de árvores e arbustos nativos.

MARACA HOSTEL
MARACA HOSTEL: UMA GOLEADA SUSTENTÁVEL

Drible no desperdício
No Rio de Janeiro, hostel
inspirado no futebol diminui
gastos com energia elétrica e água

Instalado no bairro carioca da Tijuca e próximo ao estádio do Maracanã, o Maraca Hostel não poderia ter outra inspiração além do futebol. Quem chega para se hospedar ali, porém, não imagina que logo vai se deparar com uma série de cartões vermelhos: placas de sinalização que, de forma divertida, pretendem conscientizar os clientes para que eles evitem o desperdício de água e energia. A iniciativa faz parte do projeto de sustentabilidade desenvolvido pelos sócios Guilherme Carames, Roberto Sampaio e Célio Castro desde a inauguração do local, em 2013, e aprimorado a partir de 2014 com ajuda do Sebrae/RJ e da Accarj (Associação de Cama & Café e Albergues do Estado do Rio de Janeiro).
Desde o início, os três se preocuparam em equipar o hostel com lâmpadas led em todos os ambientes e em instalar aparelhos domésticos com selo Procel. Com o tempo, reduziram o uso de copos de plástico descartáveis – a gelatina do café da manhã, por exemplo, agora é servida em utensílios de alumínio –, implantaram coleta seletivade lixo e passaram a reaproveitar água da chuva para lavar os pisos e regar os jardins. Também adotaram torneiras com temporizadores, chuveiros com redutores de vazão e um sistema que permite, por meio de garrafas longneck dispostas nos vasos sanitários, economizar 350 ml de água a cada descarga.
O acúmulo de cada uma dessas pequenas atitudes deu resultado: com a adoção do Sistema de Gestão de Indicadores de Sustentabilidade, que controla o consumo mensal de recursos no Maraca Hostel, os sócios notaram uma redução significativa no uso de água e energia – 42% e 23%, respectivamente, por hóspede.

LA TORRE RESORT ALL INCLUSIVE
ÁGUA DE COCO: SAÚDE E SUSTENTABILIDADE

Coco ecológico
Resort de Porto Seguro produz
adubo orgânico com o resíduo
de frutas servidas aos hóspedes

De início, a solução do problema parecia fácil: diante das centenas de cascas de frutas descartadas perto da barraca de praia do La Torre Resort All Inclusive, em Porto Seguro, a iniciativa do hotel foi acabar com o vistoso lixo acumulado trocando a água de coco fresca servida aos hóspedes pela bebida industrializada, em caixinhas. Não deu certo. Os consumidores reclamaram e a única saída seria voltar a fornecer o produto natural.
O resort, então, fez uma proposta ao antigo fornecedor, Jucimário da Silva, da empresa Coco Bahia: sua equipe técnica especializada em segurança alimentar daria o suporte necessário para que ele entregasse a bebida já extraída. Com isso, o lixo sumiu da praia – mas passou a se amontoar na sede do distribuidor, já que a coleta pública não dava conta dos cerca de 600 quilos de coco desprezados por dia. E partiu do La Torre, outra vez, a tentativa de encontrar um fim para o transtorno: facilitar a trituração das cascas para se transformarem em adubo orgânico. Em um acordo com Jucimário, o hotel ofereceu um adiantamento financeiro para a aquisição de máquina e adequação dos processos, forneceu galões para acondicionar a água de coco e cedeu um local para a compostagem do produto.
Implantado no segundo semestre de 2016, o projeto já resultou em uma redução de 30% no investimento que era feito com a compra da bebida industrializada e de 20% na aquisição de fertilizante orgânico – também oferecido gratuitamente, em caráter de teste, a parceiros produtores da fruta. A próxima etapa do programa já está definida: aproveitar a fibra do coco como matéria-prima para artesanato, confecção de vasos para o plantio e fabricação de biomantas, por exemplo. Como serão necessários novos equipamentos e mais profissionais envolvidos, a equipe do resort já começou a levantar os custos e a analisar a viabilidade da iniciativa.
PARCEIROS DO TURISMO

SOCIEDADE CULTURA ARTÍSTICA
GERAÇÃO DE ENERGIA ELÉTRICA ATRAVÉS DE PAINÉIS FOTOVOLTAICOS / CAPTAÇÃO DE ÁGUA DA CHUVA

Recursos naturais
Painéis fotovoltaicos e captação
de água da chuva abastecem
a Sociedade Cultura Artística

Em 2016, a Sociedade Cultura Artística – entidade sem fins lucrativos localizada em Jaraguá do Sul (SC) – comemora os sessenta anos de sua fundação com uma iniciativa sustentável que começou a tomar forma em 2013, com estudos e levantamento de custos: implantar a geração de energia solar fotovoltaica e a captação de água da chuva. O presente de aniversário veio em boa hora. Desde junho, já foram gerados 33.768 kWh de energia, suficientes para suprimir a emissão de 18,2 toneladas de CO2 no meio ambiente e evitar o corte de 270 árvores. A conta de luz, que foi de R$ 31.016,98 em fevereiro, baixou para R$ 7.067,44 em agosto.
A partir de agora, estima-se que 75% da energia elétrica consumida no prédio do centro cultural venha por meio da incidência da luz solar nas 480 placas de captação instaladas em 960 m² do telhado. Nos dias em que a produção excede a necessidade, a energia retorna para a rede elétrica e colabora com o abastecimento do município. Para captar a água da chuva, são utilizadas cisternas e caixas com capacidade de armazenamento total de 70 mil litros – o volume obtido é destinado à limpeza das estruturas físicas, descargas e pias dos banheiros.
Orçada em R$ 900 mil, a ação contou com o patrocínio de pessoas físicas e de empresas como a WEG, responsável pelo projeto e fabricação dos equipamentos. A economia gerada com a iniciativa reverte para os programas abrigados pela SCAR, que recebe 1 000 alunos em cursos de música, dança, artes e teatro – metade deles não paga, graças a leis de incentivo governamentais. Os próximos passos da sociedade incluem a implantação de um sistema de coleta seletiva de lixo e a busca por novas parcerias que fortaleçam o turismo voltado para a sustentabilidade, atraindo eventos do gênero para a cidade.

SEBRAE CE
PROGRAMA DE SUSTENTABILIDADE PARA OS MEIOS DE HOSPEDAGEM DA ROTA DAS EMOÇÕES

Iniciativas mapeadas
Plano de avaliação de ações
sustentáveis abrange hospedagens
em três estados do Nordeste

Distribuído entre os estados do Ceará, Maranhão e Piauí, o roteiro turístico Rota das Emoções reúne meios de hospedagem em catorze municípios inseridos em três Unidades de Conservação (Parque Nacional de Jericoacoara, Área de Preservação do Delta do Parnaíba e Parque Nacional dos Lençóis Maranhenses) e duas áreas de proteção estaduais (Tatajuba e Paulino Neves). Nada mais natural que os estabelecimentos se preocupem em desenvolver ações sustentáveis – atividade incentivada por um programa do Sebrae, idealizado em 2010 e colocado em prática no final de 2012, para estimular as empresas a dar mais importância ao assunto.
Até agora, 103 endereços já se valeram da metodologia do projeto, que prevê a implantação e a avaliação de medidas relacionadas à sustentabilidade em quatro eixos – ambiental, sociocultural, econômica e político-institucional –, de acordo com o Programa Nacional de Certificação em Turismo Sustentável (PCTS) e, consequentemente, da Norma Brasileira 15.401:2006. A iniciativa trouxe resultados práticos aos meios de hospedagem, como a instalação de dispositivos para economizar água, a preferência por lâmpadas econômicas, o uso de peças de artesanato local na decoração e a contratação de funcionários das regiões próximas. No Ceará, por exemplo, tanto a pousada Jeribá (em Jericoacoara) quanto o hotel Ilha do Amor (em Camocim) adotaram a implantação de placas solares.
Ao final do ciclo de inspeções, realizadas por consultores do Sebrae, os estabelecimentos ganham um selo – válido por dois anos – que atesta sua adequação aos projetos sustentáveis. É uma maneira de encorajar e valorizar os empresários que aplicam, no dia a dia, os princípios da sustentabilidade.

SECRETARIA DE ESTADO DE TURISMO – SETUR PA
BANHEIRO PÚBLICO ECOLÓGICO DO PESQUEIRO

Bioconstrução coletiva
Banheiro público em Pesqueiro
é modelo de coleta e tratamento
de dejetos no litoral do Pará

A Reserva Extrativista Marinha de Soure, na Ilha de Marajó (PA), não tem sistema de coleta de esgoto sanitário – os banheiros residenciais e as barracas litorâneas utilizam fossas com sumidouros, que acabam por poluir o lençol freático responsável pelo abastecimento das comunidades locais. Para resolver parte do problema, mas principalmente para capacitar moradores e candidatar a praia do Pesqueiro à certificação ambiental Bandeira Azul, iniciativa da organização dinamarquesa FEE (Foundation for Environmental Education), a Secretaria de Turismo do estado liderou e promoveu, ali, a construção de um banheiro público ecológico com saneamento por biodigestão (para águas negras) e filtro natural (águas cinzas).
A obra foi erguida em agosto de 2015 como parte de uma oficina de bioconstrução que capacitou dez moradores da área para que, futuramente, possam ajudar a replicar o modelo na edificação de outros banheiros nas comunidades locais. Para isso também contribui a arquitetura, inspirada nas casas dos primeiros residentes da Vila do Pesqueiro, que aproveita materiais nativos como bambu taboca e palha de inajá.
A partir de dezembro de 2015, quando o sanitário foi inaugurado, condutores de turismo passaram a levar grupos de visitantes ao local para explicar o processo de construção e o sistema de saneamento – alternativa de baixo custo para o tratamento de áreas em ambientes naturais que não têm acesso à coleta convencional dos resíduos líquidos residenciais. A taxa de R$ 2 cobrada pelo uso reverte para a Associação de Mulheres e Moradores do Pesqueiro, responsável pela manutenção do local.

 

PROJETOS INOVADORES

UNIVERSIDADE DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO
TURISMO, EDUCAÇÃO E CIDADANIA

Turismo pedagógico
Projeto destaca a importância
da educação ambiental
entre os alunos de Teresópolis

Incentivar a cidadania, informar sobre preservação ambiental e estimular estudantes de educação infantil, ensino fundamental e ensino médio a conhecer e valorizar o fenômeno turístico de seu entorno são os principais objetivos do projeto desenvolvido pelo grupo de pesquisa Ir e Ver, da UERJ, voltado para alunos e docentes de Teresópolis, na serra fluminense. Para isso, a equipe capacita diretores, coordenadores e professores por meio das aulas do curso de extensão Turismo Pedagógico.
Em uma primeira fase, 46 profissionais participaram das turmas oferecidas em 2014, 2015 e 2016. Dali saíram propostas para, por exemplo, escolher os temas sobre sustentabilidade abordados com a garotada, definir roteiros turísticos ou lugares a serem visitados em aulas-passeio e estabelecer métodos para avaliar as atividades. A intenção é fazer com que os estudantes conheçam o município onde vivem, identifiquem-se com a região e passem a observar suas virtudes e problemas para que, dessa forma, exerçam a cidadania com maior participação e responsabilidade.
Nas visitas práticas – que ainda serão implantadas em atrativos turísticos como parques, espaços urbanos e áreas rurais –, a finalidade é expandir o olhar dos alunos e fazer com que coloquem em prática o que foi aprendido em sala de aula sobre consciência ambiental e a importância do desenvolvimento sustentável.

ESCOLA DE ARTES, CIÊNCIAS E HUMANIDADES – EACH/USP
FIND TOUR

Ao alcance da mão
Painel interativo aposta nas
informações turísticas e na
coleta de lixo eletrônico

Informações turísticas, valorização de comunidades locais e descarte de lixo eletrônico parecem não ter nada em comum, mas são elementos fundamentais no painel digital interativo batizado de Find Tour e proposto pela EACH/USP. Cada totem – previsto para ser instalado em áreas urbanas com atrativos turísticos ou grande concentração de pessoas – aposta na sustentabilidade desde a escolha da matéria-prima, madeira certificada, até a provisão de energia, a ser fornecida por painéis solares fotovoltaicos.
Quando o usuário se dirigir ao Find Tour, uma pequena animação indicará a maneira correta de se desfazer do lixo eletrônico e mostrará o espaço apropriado para isso, disponível no próprio painel. Em seguida, será possível ver um videodocumentário com o depoimento de moradores ou frequentadores da região sobre a cultura local e sobre a relação afetiva que eles mantêm com alguns endereços específicos da área em que os totens estão situados. Mapas e informações a respeito do ponto turístico estarão disponíveis de forma digital em português, inglês e espanhol. Além disso, o design do totem contempla a acessibilidade: crianças e pessoas com deficiência poderão consultar facilmente o painel.
Com esse conjunto de atributos – principalmente a interatividade, a solução sustentável e a fácil utilização –, o Find Tour pretende despertar o interesse de patrocinadores e movimentar a economia do entorno.

UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO
MAPA COLABORATIVO PERMACULTUR

Rota na internet
Plataforma online deseja
mapear comunidades que
praticam a permacultura

Cuidar da terra, cuidar das pessoas, compartilhar excedentes. Baseada nesses simples conceitos éticos e em doze princípios de planejamento, a permacultura é um sistema que harmoniza a comunidade e o ambiente sustentável, produtivo, à natureza. Entre outras características, as sociedades que adotam essa concepção utilizam formas alternativas e renováveis de energia, praticam agricultura de base ecológica, trabalham com bioconstrução, preservam a mata nativa, evitam o desperdício e dão valor aos cuidados com a mente e com o corpo. Têm tudo, portanto, para receber visitantes e mostrar a eles os valores sustentáveis que regem seu cotidiano.
Muitas vezes, porém, esses lugares não fazem parte das rotas turísticas tradicionais e mais conhecidas do estado de São Paulo. O Mapa Colaborativo Permacultur proposto pela USP prevê a criação de uma plataforma online que irá se transformar em um banco de dados sobre esses pontos, facilitando a divulgação e estimulando o turismo de base comunitária ou pedagógico – além de fornecer um mapa, propriamente dito, com a localização de cada comunidade. As informações reunidas no site podem contribuir, ainda, para a elaboração de projetos e para a construção de parcerias ou apoios institucionais.
Sendo online, o mapa também facilitará a troca de experiências e o compartilhamento de dados entre os grupos e os visitantes. De preferência, fazendo com que outras localidades se inspirem na iniciativa e também tenham interesse em se adaptar à permacultura para participar do programa.